Buscar no Portal

30 de Julho, 2020 às 10:12 Por: Bernardo Lingam

Fodi Gostoso a Prima da Minha Mulher

tags: Quando ela gozou tirei meu dedo da sua xana todo molhado
Esse conto possui 5486 visita(s).

Depois da primeira vez com minha prima sempre que surgia a oportunidade, a gente se pegava. O perigo nos excitava e cada dia que passava ficávamos mais ousados. E desta vez, o caso foi um dos mais excitantes.

Num fim de semana, eu e minha esposa resolvemos ir para a chácara de um tio e ela resolveu convidar a prima. Como o marido dela não quis ir, fomos os três para curtir o fim de semana. Nós saímos na sexta-feira logo depois do meio dia, e chegamos lá por volta das 15:00hrs. Chegando lá, ficamos na varanda, tomamos algumas cervejas e jogando conversa fora. Nesse dia, como não tinha muito sol não entramos na piscina. Só tomamos bastante cerveja, chegando no começo da noite bem tontos.

Já era quase 21:00hrs e todo mundo já tava se organizando pra dormir. Ficamos todos no mesmo quarto em colchões espalhados no chão. A prima estava com um pijama bem safado: era com uma camiseta apertada e um short curto folgadinho (pelo que eu vi, a danadinha nem colocou calcinha). Ela ficou posicionada nos pés de onde eu estava com minha esposa.

Fomos dormir, apagamos as luzes e o quarto ficou muito escuro. Não demorou muito e minha esposa tinha adormecido, as cervejas haviam feito efeito. Eu perdi o sono pensando num jeito de comer minha prima, mas ali seria praticamente impossível. Acabei por me conformar, mas alguns minutos depois, senti a mão da minha prima no meu pé.

Fiquei bastante animado porque ela massageava os meus dedos e me acariciava de uma maneira bem gostosa. De repente ela colocou o dedão do meu pé na boca e começou a chupar. Foi uma sensação deliciosa, até meu saco começou a ter contrações. Ela tirou o dedão da boca e passou a roçar em seus seios, então comecei a mexer em seu corpo todo com meu pé.

Era uma situação muito diferente e perigosa, já que não podia fazer barulho e não podia fazer movimentos muito rápidos, mas ao mesmo tempo era uma coisa deliciosa demais! Fui descendo o dedo ate tocar sua bucetinha, quando encostei o dedo na entrada da xana a prima tirou o short de lado e notei seu tesão, tava toda molhada. Com certa dificuldade pela posição que estávamos, coloquei meu pé por baixo da sua perna para tentar a penetração com o dedão.

Então ela dobrou um pouco a perna e consegui introduzir, ela se contorceu e forçou meu pé contra sua buceta molhada, a safadinha dava umas leves reboladas e tentava meter o máximo, eu fazia movimentos dentro da xoxota , era uma delicia explorar a grutinha dela, aquele silencio no escuro dava um clima incrível e logo a safadinha teve um orgasmo intenso, deu pra sentir pois apertava meu dedo com sua bucetinha, uma delícia só de lembrar.

Quando ela gozou tirei meu dedo da sua xana todo molhado, então num ato mais ousado ela veio com a mão tateando e pegou no meu pau que já estava super duro, começou a me masturbar forte e rápido, fiquei com medo a minha mulher acordar mas tava muito gostoso, ela acelerou e gozei na sua mão. Ela continuou bem devagar, lambuzando seus dedos e lambendo tudo. Satisfeitos, dormimos para aproveitar o outro dia.

No sábado, nós três ficamos bebendo, ouvindo música e fazendo churrasco por boa parte do dia. A prima estava toda animada, tomando sua cervejinha e desfilando aquele bundão num biquíni pequeno. Quando ela passava perto de mim, eu dava um jeito de encostar nela e roçar de leve naquela bunda gostosa. Nós ficamos na piscina ate anoitecer, estávamos bebendo e, quando a bebida sobe, a responsabilidade diminui.

Uma certa hora a prima se esfregou discretamente na minha mão que estava dentro d’água, senti aquela bundona e meu pau ficou duro na hora, ela percebeu e me deu um sorrisinho safado. Quando minha esposa se afastou um pouco, ela comentou baixo: “Cuidado com esse dedão, ele é perigoso!”

Mais tarde fomos todos pra varanda jantar um pouco e bater papo, minha prima foi tomar banho. Fiquei bebendo com minha esposa por um pouco mais de tempo e após alguns minutos resolvi ir tomar banho para terminar o dia.

Chegaram outras pessoas na chácara para curtir o domingo, então tivemos que ir dormir em outro quarto. Este era maior e tinha várias camas e colchões espalhados, cerca de oito convidados foram dormir lá. Pra minha sorte minha prima escolheu um colchão ao lado da minha cama.

Na hora de dormir, estava muito escuro no quarto, não dava pra ver nada, esperei algum tempo e coloquei a mão em baixo procurando ela. Logo senti sua bunda por baixo da coberta e fiquei alisando, passando aquela mão boba e esperando sua reação.

Ela estava quieta, então levantei um pouco a coberta. Ela prima estava com o mesmo pijama da outra noite, o que facilitava a massagem que eu queria fazer nela. Ela logo se virou e assim pude passar a mão nos seus seios… dava pra sentir sua respiração ofegante e sua excitação. Fui descendo a mão ate chegar na sua bucetinha que a essa altura já estava úmida prontinha pra ser fodida.

Você nem imagina o tesão que me deu. Nós dois estávamos nos pegando ali naquele quarto com umas oito pessoas e todos dormindo. A situação era perigosa mas dava mais vontade ainda. Ela se afastou um pouco e achei que tinha desistido, mas pra minha surpresa ela abaixou o short do pijama ate os joelhos, o que me deixou ainda mais louco. Meti o dedo nela e comecei a masturba-la.

Metia com o meu indicador e com o polegar eu massageava seu clitóris, ela estava molhada de tanto tesão. Logo eu coloquei mais um dedo e comecei a socar em sua bucetinha. Aumentei os movimentos e notei que quanto mais eu esfregava mais ela abria as pernas. Sua xana tava escorrendo, senti que ela ia goza a qualquer momento, dava pra notar quando seu quadril se contorceu. Ela soltou um leve gemido abafado por minha outra mão. A safadinha contraiu a buceta nos meus dedos.

Que gostoso… continuei bolinando aquela xaninha raspadinha por um tempo. Depois peguei sua mão e coloquei no meu pau por cima da bermuda, estava pra explodir de tão duro, ela tirou pra fora e ficou alisando.

Para melhorar a minha noite, ela ficou me punhetando gostoso e, como o quarto tem venezianas, não da pra ver nada. A escuridão nos deu segurança para ousar ainda mais: só senti sua boca quente engolindo a cabeça do meu pau. Fiquei surpreso com sua coragem, aquilo era uma loucura, mas tava muito gostoso. Ela chupava devagar, o que me dava mais tesão: engolia, masturbava, passava a língua…

Ela chupava muito bem e foi aumentando o ritmo até que vi que ia gozar. A prima chupava com vontade. Não aguentei e soltei o primeiro jato que inundou sua boca. Uma das gozadas mais deliciosas da vida.

Como gostava de provocar, ela falou baixinho: “Cachorro!” Ajeitei o pau excitado e molhado na bermuda e me acalmei pra dormir. Foi uma aventura muito excitante e não foi a última vez que ficamos.

© Bernardo Lingam.

Comentários

Ainda não há comentários para esse conto.