Buscar no Portal

05 de Maio, 2017 às 21:20 Por: Malu

Tenho vocação para puta daquelas mais baratas

tags:
Esse conto possui 21981 visita(s).

Eu não sei o porquê mais desde criança sempre fui muito inclinada e curiosa para as coisas de sexo. Não sei se é porque com 12 anos um vizinho, quando ficava sozinho comigo, tirava minha calcinha e chupava minha xoxota enquanto se masturbava ou se tem a ver com o fato de ter vocação para quenga mesmo. Só sei que sempre tive uma libido muito forte. A coisa piorou bastante quando veio a minha menstruação pela primeira vez. Sentia tesão antes mesmo dela acabar. Enquanto era virgem não sabia o que fazer. Queria esfregar a chana, sovar, meter alguma coisa dentro dela para acabar com aquela vontade esquisita que eu sentia sem saber o que era.
Um dia, durante o banho, fui lavar a buceta e fiquei tão excitada que sentei no vaso sanitário, abri bem as pernas e comecei a esfregar ela e meter o dedo dentro dela . Era tão bom. Tive meu primeiro orgasmo sem saber o que significava.Tinha uma vaga lembrança de que, quando era pequena, já havia tocado essa parte e minha mãe tinha dito que mocinhas direitas não mexiam na xota.
Passei a me masturbar sempre que tinha uma oportunidade. No início, usava apenas os dedos, com o tempo passei a esfregar toalha e lenços nela até gozar. Mas, o tesão era tão grande e insuportável, principalmente, depois que dei a buceta pela primeira vez, que comecei a enfiar coisas nela. Certa vez, coloquei uma camisinha na luva da bicicleta, sentei em cima e agi como se estivesse cavalgando num cacete gostoso, Foi um prazer inenarrável. Daqueles de molhar o lençol de tanto gozo.
Entretanto, isso não me satisfazia. Queria algo maior. Peguei um vidro de óleo corporal que lembrava um pênis, tanto no tamanho quanto na grossura, e passei a me masturbar com ele. Era o que conseguia me acalmar um pouco.
Eu queria ser puta, quenga mesmo. Me imaginava fudendo com vários homens numa mesma noite, levando pau de todas as cores e tamanhos. Só não queria pau pequeno ou mole. Nunca realizei essa fantasia. Tinha outra fantasia meio sado-masoquista. Queria simular um estupro durante a relação. Entretanto, só encontrava caras bonzinhos que enfiavam delicadamente como se eu ainda fosse virgem. Não tinham pegada.
Até que conheci o Rodrigo. Aquele metia com vontade, parecia que ia rasgar minha xota com aquele pauzão feito de ferro. Ele metia sem dó. Me batia, me xingava, me mordia e chupava deixando marcas no meu corpo. Pena que descobri que ele era casado e tive que deixá-lo. Posso ter natureza de rameira, mas homem comprometido não pego.
Conheci outras rolas, diferentes em tamanhos, cor, formato. Umas, limpinhas e cheirosas; outras; feias ou fedidas. Só tem uma fantasia que nunca realizei. Queria que um homem me comesse menstruada (usando camisinha, é claro). Pois, nesse período menstrual meu desejo é igual ou até maior do que o desejo que sinto em outros dias.
Não acredito em outras vidas. Contudo, se acreditasse, diria que já fui puta, daquelas mais vagabundas que já existiu. Rsrsrsrsr

Comentários

15 de Junho, 2017 às 10:44
Fernandozelol
Nossa tesão de mais ler seu conto adoro mulher assim que se toca explora seu corpo me excita muito e sexo mestruada nossa parece que encaixa mais gostoso ainda se quizer entrar em contato me adiciona no snap fernandozelol
23 de Maio, 2017 às 02:25
Guya
tenho fetiche ate de chupar buceta mestruada tipo vampiro caso se interesse meu e mail [email protected]
08 de Maio, 2017 às 14:22
brunaozao
q delicia seria te comer menstruada, comi minha mulher várias vzs assim, adoro no final estar com a região do pinto, coxas e barrigas tudo sujo de sangue, tenho tesão nisso...
07 de Maio, 2017 às 14:18

Muito bom... Pena que algumas mulheres tem medo de relatar... Rsrs Adoro conhecer mulheres assim e seus desejos...whats (47) 92126411 Ou caso queira relatar uma exp. Real... Publico pra vc se tiver com receio...

1