Buscar no Portal

12 de fevereiro, 2016 às 16:43 Por: César Brito

Paizinho da enteada

tags: Papai
Esse conto possui 77413 visita(s).

Me chamo César e tenho uma enteada, Sofhia, acabou de fazer 12 anos em dezembro. Estou casado com sua mãe, desde que Sofhia tinha 2 anos, então, a tenho como filha.
De um tempo pra cá, há um ano mais ou menos, comecei a perceber que ela estava mudando, e se tornando uma moça, os seios crescendo, os bicos pontudos, crescendo pelos nas pernas, ainda esguias mas bem atraentes..notei também que ela passou a me olhar de uma forma diferente, não como "paizinho" como costumava me chamar, mas como homem talvez, pode ser porquê esteja uma moça já, quem sabe. Mas o fato é que, um dia, quando percebi mesmo oque acontecia, estávamos apenas nós em casa, e ela havia saído do banho, como de costume, por termos intimidade, ela com uma camisa minha, que tomou pra ela, sem soutien, apenas calcinha, passou pela sala na minha frente, mais vezes que de costume..como não dei atenção, aparente, ela se sentou no sofá e pediu pra eu pentear seus cabelos. Comecei a pentear e ela não satisfeita disse que da forma que estava era ruim, pois estava de lado no sofá, então ela perguntou se poderia sentar no meu colo, claro que sim, respondi...ela sentou-se, minhas pernas estavam juntas, então ela ficou sentada no meio das minhas pernas com as dela abertas..comecei então a pentear e notei que ela sutilmente ia vindo pra trás, até que ficou bem perto de mim..o cheiro dela era maravilhoso, os cabelos limpos, a pele lisa, suas pernas delicadas roçando às minhas, foi uma das melhores sensações da minha vida. Terminei de pentear ela, mas ela não saiu, disse que queria ficar comigo daquele jeito, que parecia que a estava expulsando ela do meu colo...resolvi deixar...ela foi ficando e ficando e ficando, até quando dei por mim, ela estava encaixada no meu colo, de costas encostada em meu peito, olhando fixa para a tv, os cabelos no meu ombro, suas pernas, sobre as minhas..sem perceber minhas mãos rodeavam sua cintura, com meus dedos entrelaçados sobre sua barriguinha. Senti que la se mexia, cantarolando algo, uma música parecia, e neste rítmo, ela foi aumentando e se mexia sobre meu colo, encaixada sobre meu pau, neste momento, já duro com aquela boneca sobre ele. Ela então virou seu rosto, e ficou esfregando ele no meu queixo, minha barba crescendo roçava seu rosto, e enquanto ela esfregava, ainda cantava, sentia sua respiração ofegante e quente, sua boca chegando perto da minha, ela abria o olho me olhando, me provocando, virava o rosto para o outro lado e se mexia mais e mais sobre meu colo..Sutilmente fui levantado a blusa dela, e meus dedos tocavam a pele lisinha de suas coxas, até q a blusa estava na altura da sua cintura, enroscada...continuei a puxar a parte de baixo de seu bumbum..até que tudo subiu, ela só de calcinha sobre meu colo..parei um instante pensando não ser certo isso. Foi quando ela sentou sobre meu colo..trocou o canal da tv até encontrasse uma música tocando, foi quando achou Anitta, aumentou o som, colocou o controle sobre o sofá, apoiou-se em meus joelhos e começou dançar sobre meu colo, pude sentir meu pau pulsando com aquela cena, sentia quando ela fechava as pernas e pressionava seu bumbum no meu pau e apertava com força, coloquei minhas maos na sua cintura, e deixei ela fazer oque queria, mexendo junto com ela, acompanhando seus movimentos...De repente, ela se inclinou pra trás, e abrindo mais as pernas, buscou meu pau com sua mão, tão delicada..ainda por cima da minha bermuda acariciou ele..até baixar meu short e parte da cueca e deixar parte dele pra fora..foi então que encostou seu bumbum na altura da minha barriga, bem em cima e deixou ele encostado entre suas pernas, sem nada dizer, nem eu, nem ela, ela o esfregava contra sua bonequinha, esfregava de uma forma como nunca vi mulher alguma o fazer, enquanto isso, se arrepiava, sentia seus pés se tensionando sobre os meus, apertando forte, inclinando sua cabeça pra cima, enquanto o esfregava contra ela, se mexia, rebolando no meu colo..Nesse momento, senti que pressionou muito minhas pernas, se esticou toda no colo .... suas pernas tremiam..quando fui segurar ela, senti que ela havia sentido prazer, nesse momento saiu correndo do meu colo e foi para o seu quarto.
Fiquei muito preocupado com a situação, medo e prazer juntos...mas, no mesmo dia a noitinha, antes de dormir, na mesa do jantar, ela olhou pra mim, sorriu e disse " não se preocupe paizinho, eu quis aquilo, é nosso primeiro segredinho". Fiquei certa forma aliviado, mas com medo do que ela queria dizer com "primeiro segredinho".

Comentários

Ainda não há comentários para esse conto.