Buscar no Portal

12 de Outubro, 2013 às 19:05 Por: Senhor dos Contos

A Sobrinha do Titio

tags: tio, sobrinha, mulher, incesto
Esse conto possui 222393 visita(s).

Quando casei nem bem conhecia os parentes da minha mulher. Já fazia dois anos que estávamos juntos, quando ela me falou de uma sobrinha que queria vir morar com a gente pra terminar seus estudos. Pois na cidade onde ela morava não tinha o tipo de curso que ela pretendia fazer. Eu primeiro pensei um pouco. Como não a conhecia, fiquei meio na dúvida. Era só eu e minha esposa, não tínhamos filhos. E ela começou falar da sua sobrinha com uma forma tão carinhosa, que não precisava eu ficar preocupado que ela era boa pessoa eu acabei concordando.

Mas com uma condição: fazer uma experiência primeiro, pois pra mim ela era uma pessoa estranha. Minha esposa sorriu e toda empolgada correu ao telefone avisar a sobrinha que seu tio ia buscar ela na rodoviária. Dizendo pra mim: - Você vai né Cal? - confirmei com a cabeça. Ela disse para sua sobrinha você aguarda aí dez minutinhos seu tio vai aí te pegar! - E desligou o telefone. Eu olhei para ela e disse:- Mais que tipo dez minutinhos, do que essa garota veio, você não disse que ela não morava aqui na cidade? - Disse sim meu amor, só que a gente já tinha combinado, agora você faz o favor termina logo esse café que sua sobrinha tá lá te esperando! - Só o que faltava mesmo! - balancei a cabeça você já tinha acertado tudo com sua sobrinha depois veio me consultar? E sair agora? Estou cansado porque não vai você? - Ela me deu um beijo na boca e disse é que o seguinte amor eu sabia que você ia aceitar, depois eu preciso arrumar essas coisas e você vai buscar sua sobrinha você vai gostar dela. - Tá bem!

Lá fui eu buscar a moça que nunca tinha visto. Chegando próximo eu liguei pra o número dela que falou eu sou morena, tenho meus cabelos longos, estou usando uma saia jeans e uma blusinha branca. Estacionei o carro e quando olhei pra aquela moça, fiquei sem palavras. Luciane era o nome dela, e que tesão de mulher, meu Deus. Minha mulher disse que ela era é boa, e como era boa, mil idéias veio em minha cabeça, mas me comportei sério como um verdadeiro titio.

Levei suas malas ao carro, abri a porta como um verdadeiro cavalheiro, assim que ela entrou no carro, sua saia, que tava pra uma microssaia do que saia, subiu mostrando suas coxas grossas e parte da sua calcinha branca. Que situação fiquei! Não pude conter o olhar pra aquela linda paisagem, com muito tesão fiquei. Ela sorriu do meu jeito. Bem tomei o acento do volante ao seu lado. E seguimos em direção de casa. Ao chegarmos em casa, minha esposa veio toda feliz abraçá-la: - Luu! Meu Deus menina como você cresceu! Gente que mulherão! Não é mesmo Cal?(eu confirmei). E como foi de viagem? – Ah tia assim você me deixa encabulada! Vim bem tudo traquilo. Mas você que é linda tia e parabéns pelo titio que você arrumou pra mim ele é super educado, cavalheiro mesmo e muito bonito.

Minha esposa olhou pra ela com risos. - Mas não vá roubar ele de mim, e não esqueça que ele é seu tio. - Luciane me abraçou dizendo:- Ah vou sim! Você que não fique esperta! As duas riram. Eu fiquei sem jeito outra vez. Levei suas malas ao quarto onde ela ia ficar. Quando de repente uma das malas abriu, estava cheia de langerie, umas calcinhas caíram ao chão. Minha esposa disse: - Cal Cuidado com as malas da menina!- e minha sobrinha: - Cuidado com minhas calcinhas tio! Ela era uma menina super extrovertida. Menina! Um mulherão de parar trânsito. Eu olhava pra ela mas sempre tentando disfarçar que estava morrendo de tesão por aquela morena. Minha esposa era muito brincalhona também.

Ângela era o nome dela e tinha 20 anos. – Hei Cal cuidado pra não derrubar o queixo! – Que é isso mulher para de falar besteira! – Dizia eu. Mas era difícil olhar pra aquela mulher sem sentir tesão. Três anos que conhecia Ângela. Namoramos um ano, e aí casamos, na verdade fomos morar juntos. Ângela era enfermeira e eu motorista de uma família tradicional da cidade. Luciane já tinha passado no curso. No momento ela só estudava e ajudava minha esposa com o serviço da casa. Como onde a gente morava era muito quente, Lu sempre tava de minissaia ou shorts enfiado, meu Deus aquela garota era perdição pura. Mas minha mulher confiava muito em mim pois todo esse tempo com ela nunca traí, até mesmo quando ela fazia plantão à noite. E confiava também em sua sobrinha que sempre foi o xodó da tia quando ambas moravam na mesma cidade. Mas agora a estória começa tomar outro rumo. Aquela garota tava mexendo com minhas duas cabeças. As vezes eu transava com minha mulher pensando que tava transando com ela.

Uma vez que entrei no banheiro vi uma calcinha pendurada que eu tinha certeza que não era de Ângela. Uma calcinha vermelha bem pequeninha. Acabei de mijar e olhando pra calcinha excitado peguei-a enrolei no meu pinto e comecei a me punhetar, acabei gozando na calcinha, nem fiz questão de limpar, eu queria sei lá, que ela visse que eu era loco por aquele corpaço, aquele bundão empinado. Durante três meses que ela estava com a gente nada rolou, eu a comia com os olhos disfarçadamente, mas aí comecei a ficar cabrero, porque tinha medo que minha mulher percebesse e poderia acabar tudo o nosso relacionamento, ou sei lá não sei qual seria a reação dela. As minhas transas com minha mulher parece ter aumentado depois que sua sobrinha foi morar com nós. Mesmo quando estava cansado ou quando ela estava cansado. Certa vez ela falou: - Amor não sei o que aconteceu com você, mas eu estou gostando muito, mas vai devagar porque senão você me mata! Ela até chegou a perguntar se era por causa da Luciane que eu estava assim. Eu disse à ela- Não nada vê magina! Isso é bobagem sua! Mas mulher é um bicho desconfiado.

–Olha se for por causa dela não tem problema, isso é normal! Ela é uma menina muito bonita, percebo quando você olha pra ela! Caramba! Eu não sabia o que dizer pra minha mulher. Eu suava. Ela continuou: - Eu sei que muitas vezes eu te deixo sozinho quando faço meus plantões à noite, mas olha eu não me importaria se você tivesse algo com ela não. Eu percebo como ela te olha também. Chegou até me falar que você é super bem dotado.

Confesso que tava surpreso com minha mulher me falando todas aquelas coisas, me dando cartão verde. Não sabia se tudo o que ouvia era verdade, ou era sonho, ou minha mulher tava querendo fazer um teste comigo. Mas fiquei curioso com o papo que rolava e perguntei: - Como ela sabe que sou bem dotado. – Vai ver que ela te pegou tocando punheta nas calcinhas delas. (riu) eu fiquei sem graça até isso minha mulher já sabia.

Não quis argumentar nada. Eu fazia um amor muito gostoso com minha mulher mas agora que sua sobrinha chegou, o apetite sexual aumentou mais e não dava descanso pra minha esposa. E quando ela ia trabalhar a noite eu ia no quarto da sobrinha fazer uma visitinha. Às vezes ela acabava dormindo com a luz acesa e com um livro na mão.Deitada de bruços somente de calcinha ou com uma camisolinha bem sensual que deixava à mostra aquela bundinha empinada. Eu me masturbava olhando pra aquela beldade.

Uma noite criei mais coragem e me aproximei bem mais perto dela. Sentei ao lado da cama, levantei sua camisolinha e comecei fazer carinho naquela bundinha gostosa. Coloquei minha mão por dentro de sua calcinha tocando aquele cuzinho maravilhoso meu pênis tava em ponto de ataque, como sempre. Conferi se ela estava dormindo mesma, ela empinou mais a bundinha. Facilitando para que eu pudesse tocar em sua bucetinha. Ela já estava molhadinha. Eu puxava a calcinha ao lado e beijava o cuzinho e a bucetinha, ela gozava em minha boca, aí percebi que a safada não estava dormindo, estava apenas fingindo mas não resistiu em gozar na minha boca e gemer a palavra: - titio! – Estava com tanto tesão que nem deu tempo de me surpreender. Coloquei-a de frente pra mim. _ você está acordada hem sua safada! _ Sim! Esperando por você! – Era tamanho tesão de ambas partes. Levei meu pau até sua boca. Ela chupava bem gostoso. Chupava melhor que minha mulher. Engolia todo meus vinte centímetros em sua garganta como uma verdadeira engolidora de espada. Meu pau aumentava de tamanho em sua boca.

Ela pediu pra que primeiro eu enfiasse no seu rabinho antes de comer sua buceta. Ficou de quatro pra mim e disse: - Vem, enfia esse pau gostoso no meu cuzinho! Enfia todo! Eu a enfiei sem dó. Numa estocada só ela gritou – Ai meu cu! – Eu aumentava mais o ritmo das estocadas. –Toma sua puta, é no cu que você quer? Então toma! Ela gritava, delirava e gozava. E eu continuava. Em seguida coloquei ela de frente pra mim e em posição de frango assado coloquei em sua buceta. Devido as gozadas que ela tinha dado, não tive muita dificuldade para enfiá-lo. Meu pau entrou rasgando aquela bucetona gostosa. Ela gritava: - Me fode caralho! Fode essa buceta! – Putinha gostosa, toma!


Quando estava pra gozar ela pediu que eu gozasse em sua boca, pois queria provar do meu leitinho. Tirei da sua buceta e levei até sua boca, jatos de porra saia do meu pau ela engolia todo. Acabei dando um urro forte, desfalecendo sobre ela. Acabei dormindo com ela em seu quarto. Ela acordou bem cedo outro dia. Veio me chamar para tomar café, pois logo chegava a hora de eu trabalhar e a Ângela estava chegando. Levantei meio sonolento olhando para aquele corpo maravilhoso da sobrinha. Que estava toda linda e sexy em sua sainha e blusinha. Eu queria que fosse algum feriado ou dia que não precisasse trabalhar só pra ficar ali.

Fui tomar banho, como não tinha toalha no banheiro ela fez questão de pegar uma pra mim. E logo que eu entrei, tinha acabado de ligar o chuveiro ela veio tocou em meu pau: - Já lavou ele? – Ainda não lava pra mim! (riu) – Com todo o prazer meu garanhão! Você me deu o prazer que homem nenhum tinha me dado até agora. – Ah obrigado! – É sério minha tia tem sorte de ter um homem como você, e eu tenho sorte de poder encontrar. Ensaboando meu pau, em seguida enxagoando, ela coloca na boquinha e mama como uma verdadeira bezerra. Eu gozo na sua boca.

Momentos depois, café à mesa, minha esposa chega, tomamos café todos os três. Eu vou pro trabalho beijando minha esposa e a sobrinha gostosa do titio. Que é assim que eu começo a chamá-la. E cada dia ela ta mais linda e apetitosa, não deixo de fazer sexo com minha mulher também que também é muito gostosa. Sou feliz por ter duas mulheres. Eu, minha mulher e a sobrinha do titio

Comentários

15 de Maio, 2017 às 19:46
Denar
kkk mentira da porra.
28 de Dezembro, 2016 às 19:44
Leorj15
Olá, me chamo Leo, adoro contos de incesto e zoofilia, gostaria de conversar com pessoas que curte e prática, me adiciona 21 991583327 (Rio de Janeiro)
12 de Março, 2016 às 17:41
DotadoSafado
Ótimo conto... Adoro mulher safada que gosta de ser bem fodida, mesmo que as vezes não tenha coragem pra falar mais morre de desejo,depois de algumas exp. passei a gostar demais de ficar cobiçando uma mulher safada, ou vela se exibindo, até mesmo ajuda-la a perder a timidez e mostrar todo desejo e vontade reprimida. quem sabe ajudando a conhecer esses desejos..e vontade.. whats 19 98922-4148
08 de Maio, 2015 às 14:14
RAIMUNDOCALCADA
Ele faz tudo isso e pensa que ela tava dormindo? kkk E a esposa ainda aceita ser corna? Jura? KKK Forçou. Nota 7.

1