Buscar no Portal

04 de Agosto, 2020 às 12:26 Por: Bernardo Lingam

Carla - no Clube das Mulheres

tags:
Esse conto possui 1870 visita(s).

Sou a Carla, tenho 41 anos, heterossexual, 1,65 de altura, 60 kg, peitinho pequeno, bumbum médio, coxas grossas e cintura fina, casada há 21 anos, liberada pelo meu corninho, já fui comida por homens de diferentes tipos, calibres e idades. Tenho uma grande amiga, Marcela, com a mesma idade que eu e quase o mesmo corpo, a diferença que eu tenho mais bumbum e ela mais peitos. Não escondemos uma da outra nossas transas fora do casamento. Já compartilhamos machos que trabalhavam como salva-vidas numa praia em Itapoá (SC), conto Carla – fodida na praia. Dessa vez convidei a Marcela para visitar um clube de mulheres localizada numa chácara aqui em Curitiba, minha única exigência foi que todos tivessem ereção prolongada, educados e fossem muito carinhosos. Três dias antes já me depilei inteirinha, massagem, drenagem linfática, tudo para ficar com o corpo no ponto para transar com vários machos gostosos.
No dia marcado tomei um banho bem demorado na hidromassagem cheia de sais aromáticos e depois sobre o corpo nu usei meu perfume preferido, suave e delicado e coloquei um vestidinho leve e fácil de tirar e para completar calcei uma sandália salto 12 agulha, deixou meu bumbum bem empinado, a Marcela estava de saia e blusa lindos também, quando chegamos na chácara fomos recebidos por dezesseis homens saradissimos, lindos, de várias raças mas com predominância de negros, todos apenas com cueca boxer que evidenciavam mais ainda suas ferramentas e coxas poderosas. Para começar a brincadeira fomos despidas e colocadas deitadas sobre um tipo de mesa e vários deles se revezaram nos beijando demoradamente na boca e no corpo todo, especialmente seios, barriga, bumbum e vagina. Eu já pedia despudoradamente para ser penetrada por eles, minha xana já estava molhada de meu prazer devido as caricias deliciosas recebidas por todos aqueles machos tão envolventes. Ainda me torturaram por um tempo, para finalmente um deles deitar e sem perder tempo deitei sobre ele e posicionei seu pau maravilhoso na entrada da minha buceta sedenta, a penetração foi rápida e vigorosa, do jeito que eu adoro, já estava me deliciando sendo fodida por aquele macho quando senti que passaram um gel no meu rabinho, arrebitei meu bumbum para logo em seguida sentir uma penetração cuidadosa de um pau duríssimo que me penetrou vigorosamente, arrancando de mim gemidos de dor e prazer, pra completar outro pau se posicionou bem perto de minha boca, um pau delicioso que não hesitei nem um momento para abocanhar e chupá-lo com todo prazer, estava sendo uma puta vulgar, sendo fodida por três machos deliciosos ao mesmo tempo, e adorando cada sensação de prazer que vinha do meu corpo todo, adorei perceber que todos eles demoravam muito para ejacular, proporcionando a mim deliciosos e demorados orgasmos, quando finalmente um deles gozava outro já prontamente ocupava seu lugar, ficamos horas sendo fodidas, transando em diferentes lugares da chácara, mas a que eu adorei foi numa piscina, pois adoro ser transar dentro da água, sempre com pelo menos dois machos me fodendo com maestria e competência, fizemos algumas pausas para descansarmos um pouco, saboreamos lanches cheios de frutas já preparadas para nos deliciarmos, andamos totalmente nuas no meio de todos aqueles machos saborosos de forma natural, mas vendo nos olhos deles que todos estavam prontos para nos pegar e nos comer de tudo quanto é jeito, e nós duas adorando tudo aquilo. Quando andava sentia escorrer pelas minhas coxas uma quantidade enorme de esperma, fruto de todas deliciosas ejaculações daqueles machos safados e saborosissimos. Sei que fui deliciosamente comida por todos eles mais de uma vez, mas depois de tanto tempo transando minha xana e rabo estavam esfolados e percebi com tristeza que deveríamos parar, os rapazes muito educados ainda nos elogiaram bastante pelo nosso desempenho, satisfazendo todos eles, e pediram para nós voltarmos para mais tardes de sexo e muito prazer, nos prometendo inclusive alguns amigos a mais. Na volta para casa, conversando com a Marcela ficamos conjecturando se teríamos pique para transar com tantos homens juntos. Depois de uma breve conversa concluímos que nós duas éramos umas putas devassas pois já estávamos doidinhas para transar com todos aqueles machos suculentos novamente.

Comentários

Ainda não há comentários para esse conto.