Buscar no Portal

04 de Janeiro, 2018 ŕs 17:31 Por: xmaah

Boquete da Novinha

tags:
Esse conto possui 2209 visita(s).

Olá me chamo Marcelo e vou contar aqui algumas coisas que já passei, e a primeira delas foi ao meus 13 anos, era meio bobo ou inocente até demais nessa época e nas férias da escola passava o dia todo na laje soltando pipa era realmente viciado nisso, ao lado tinha a varanda do vizinho que por ser mais alta que a laje onde costumava soltar pipa e tbm por sempre estar cheias de roupas no varal viviam enroscando minha linha lá. A esposa do meu vizinho tinha uma irmã Poliana que tinha cerca de 15 anos e sempre ficava sozinha na casa ouvindo música e freqüentemente saia na varanda onde sempre pedia para ela desenroscar minhas pipas do varal. Um certo dia ela disse que eu poderia pular lá e resolver o problema das pipas sem precisar chama-la e pensei que ela já estava puta comigo por isso, então comecei a pular lá pra pegar as pipas, a porta de acesso pra casa estava sempre aberta e a musica sempre alta por isso acho que ela não me ouviu pular e quando voltava ele estava saindo do banho enrolada na toalha, ela tomou um susto e tentava esconder o corpo e eu paralisado sem saber o que fazer e depois daquele dia aquela cena não saia da minha cabeça, Poliana tinha um rosto comum, nunca foi aquela garota bonita que chama atenção, tinha tbm a bunda pequena porem uma linda pele cor de chocolate e uns peitos aparentemente grande pra sua idade.
Dias depois ela apareceu na varanda e perguntou se eu podia ajudar ela, meio sem jeito respondi que sim então pulei o muro ela estava mexendo em umas coisas sobre o guarda roupas e a escada não era de confiança, enquanto segurava a escada ela ajeitava as coisas, olhei disfarçadamente pra bunda dela e então me lembrei dela só de toalha, comecei então a imaginar mtas coisas criei coragem e peguei na bunda dela ela se assustou e perguntou o que eu estava fazendo, disse que não conseguia esquecer a cena dela enrolada na toalha e ela respondeu seu safado já terminei aqui obrigado pela ajuda pode ir embora, assim que ela desceu das escadas puxei ela pra perto e dei um beijo na boca dela achando que ela ia fazer escândalo ou algo do tipo, porem na mesma hora ela retribuiu o beijo me abraçando, na mesma hora um alivio e um tesão com aqueles peitos pressionados no meu corpo fiquei de pau duro na mesma hora, ela parou de me beijar e disse nossa ta ficando bem animadinho ai embaixo, falei que tava louco pra ver os peitos dela então ela tirou a blusinha eles era bem grandes e firmes com os mamilos pequenos e bem escurinhos, já fui metendo as mãos e apertando com vontade e ela disse calma parece que nunca viu peitos, respondi que só tinha visto em filmes pornôs e ja fui caindo de boca, não sabia chupar direito mais chupava com vontade, então ela disse deixa eu ver seu amiguinho, abaixei a bermuda e a cueca de uma vez e ela disse mais bonito do que eu imaginava, falei que agora podia parar de imaginar e realizar suas vontades, ela ja foi logo pegando no pau com uma mão e nas bolas com a outra me punhetando e me deixando louco, Já não estava aguentando e falei chupa logo esse caralho e na mesma hora ela se ajoelhou e socou tudo na boca chupando com mta vontade mamando da cabecinha até as bolas, não demorou disse que ia gozar, ela tirou a boca do meu pau começou a me punhetar com mais vontade gozei feito um cavalo no rosto dela e nos peitos, ela foi no banheiro lavou o rosto e os peitos e ficamos deitados na cama se beijando, enfiei a mão dentro do shortinho dela e fui passando o dedo na buceta e indo até o cu, já estava ficando de pau duro novamente então ouvimos um barulho na porta, sai correndo e pulei o muro, era a irmã dela que havia chegado, depois desse dia passei a gostar ainda mais de empinar pipa. Esperam que tenham gostado da minha primeira aventura tanto como eu gostei, em breve retorno aqui pra contar mais algumas aventuras.

Comentários

Ainda năo há comentários para esse conto.