Buscar no Portal

05 de Dezembro, 2017 às 19:59 Por: Paulo70

Convenci minha mulher a dar pra outro parte dois

tags:
Esse conto possui 1576 visita(s).

Oi, pessoal, hoje estou aqui para dar continuidade ao relato que fiz há algum tempo com o titulo “convenci minha mulher a dar para outro” e acho melhor que quem não leu o primeiro o leia para ficar mais completo.
Meu nome é Paulo, tenho 30 anos, sou empresário bem sucedido em São Paulo onde moramos.
Sou casado há seis anos com uma lourinha gaúcha que hoje tem 25 anos. Seu nome é Claudia e, como já relatei anteriormente, tem 1,73 de altura, 63 quilos bem distribuídos em um corpo maravilhoso e malhado que frequenta academia três vezes por semana. Seus cabelos loiros são compridos até a altura dos ombros; tem as coxas deliciosamente grossas e roliças; bundinha durinha, redondinha e absurdamente arrebitada. Seus seios são cheinhos, ( sem exagero), redondos e empinadinhos e os biquinhos quando excitados ficam tão durinhos que parecem querer furar a blusa.
Ainda não temos filhos, por isso temos certa liberdade e saímos sempre. Gostamos muito de sexo e abusamos de nossa criatividade na cama.
Depois daquela noite de aventuras no motel com o Jorge, não tínhamos tido mais nenhuma relação com outro homem em nossa cama. O Jorge teve que voltar para o interior, mas manteve contato apenas comigo, pois a Claudia achou melhor cortar contato com ele para não estreitar as relações, afinal, tinha sido apenas uma transa. Mas, mesmo assim, eu e ele ficamos amigos, e conversávamos sempre por telefone ou Wats’up, sem que ela soubesse.
Seis meses já haviam se passado e nós, eu e ele conversávamos quase toda semana. Ele perguntava sempre por minha mulher, queria saber como ela estava e se já tínhamos repetido a dose com outro cara e dizia que estava com muita saudade. Eu respondi que não. Ele disse que repetiu a dose com outro casal mas que igual à Claudinha ele nunca mais acharia e que comer minha mulher foi a melhor coisa que aconteceu na vida dele e, se quiséssemos fazer de novo era só chamar que ele viria correndo de onde estivesse, pois não tirava minha esposa da cabeça.
Tive esta conversa com o Jorge pelo Wat’s up sentado na mesa da cozinha e estava com o pau duro. A lembrança daquele dia no motel em que ele e a Claudia treparam a valer ainda mexia muito comigo e, as vezes me pegava olhando as fotos daquele dia e me masturbava .
Nesse instante ouvi a porta da sala se abrindo. Era minha esposa chegando da academia. Ouvi sua bolsa sendo jogada no sofá e seus passos vindo em direção à cozinha. Ela entrou.
- Oi amor!- Falou ela dando-me um selinho.- Como foi seu dia.
- Bem!- Respondi ,enquanto ela caminhou até a geladeira e pegou sua garrafinha de agua gelada e a tomou entornando-a na boca.
Fiquei admirando seu corpo perfeito naquela calça legg preta super colada ao seu corpinho. Sua bundinha arrebitada exibia a calcinha marcando. Sua bocetinha saliente formava aquela testa desenhando o perfeito capo de fusca. Lembrei-me imediatamente do pau enorme do Jorge castigando aquela xoxota e meu pau quase explodiu. Na parte de cima ela usava apenas um topezinho que modelavam seus seios perfeitos e atraentes.
-Vou subir e tomar um banho tá, amor eu tô exausta. Nem vou jantar, vou direto pra cama.- Falou ela dando-me um beijo.
Depois daquela aventura, nossa vida sexual deu uma apimentada por um tempo. Nós transavamos todos os dias lembrando daqueles momentos, mas a coisa foi esfriando de uns tempos pra cá. A Claudia foi ficando fria comigo e demonstrava uma certa tristeza. Ela fazia de tudo para eu não perceber e às vezes que transavamos ela se esforçava para demonstrar entusiasmo, mas eu percebia que alguma coisa estava errada. Amo muito minha mulher e me doia vê-la assim.
Depois de algum tempo ali sentado na cozinha, resolvi subir e tomar um banho. Entrei no quarto e vi a Claudia deitada de bruços só de calcinha branca com sua linda bunda arrebitada para o teto enquanto teclava com alguém em seu IPhone. Olhei para aquela bundinha arrebitada e lembrei-me do Jorge comendo-a por trás como um garanhão puro sangue metendo vigorosamente. O tesão me invadiu novamente. A Claudia nem notou minha presença. Fui ao closet, peguei minha cueca e entrei no banho. A lembrança daquela noite no motel com o Jorge metendo na bocetinha da Claudia me encheu de tesão e me masturbei.
Entrei no quarto e ela se encontrava na mesma posição teclando. Deitei-me a seu lado e comecei a acariciar sua bundinha com meus dedos procurando sua bocetinha.
- Desculpa, querido, hoje eu não tô com cabeça.- Falou ela em um sorriso sem graça.
Meu tesão logo esfriou. Ela apagou a luz e se virou de lado para dormir. Naquela hora percebi. Havia outro homem na jogada.
- Claudia! Vamos conversar?- Falei decidido sentando-me na cabeceira da cama.
Ela se virou olhando para mim com seus lindos olhos azuis arregalados, mas continuou deitada.
- Conversar sobre o que.- Falou ela com sua vozinha rouca.
- Sobre nós.
Ela manteve o silêncio e continuou me olhando.
- Bom! É evidente que a nossa relação deu uma esfriada e eu percebo que você tá sofrendo e isso me machuca muito, pois eu te amo demais.
Nesse momento ela deu um meio sorriso mas continuou quieta olhando para mim.
- Claudia! Eu vou ser direto. Você tá afim de sair com outro cara? Tudo bem, eu já disse que você pode ter um amante se quiser...
Nesse momento ela se sentou ao meu lado e acariciou meu rosto.
- Tô.- Falou ela, quase sussurrando sua voz rouca e olhando fixo para mim.
Foi como se uma pedra enorme caísse sobre a minha cabeça.
- Me ama ainda.- Falei com os olhos marejados. Ela sorriu
- Você ainda duvída. Eu te amo muito, Paulo, você foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida e faço tudo pra te ver feliz. É com você que quero ter filhos e viver o resto da minha vida. Mas tem um cara aí que tá dando em cima de mim e tá mexendo comigo. –Suas mãos continuavam acariciando meu rosto enquanto falava.
- É algum carinha da academia?- Perguntei.
- Não. É um cara daquele site de encontros onde a gente conheceu o Jorge. Um dia, eu abri meu email e tinha uns 40 só dele. Resolvi abrir pra ver. No email ele dizia que queria me conhecer, mandou fotos e começamos a trocar mensagens. Dei meu wats’up e desde então nos falamos todos os dias. Ele diz que quer muito nos conhecer, é solteiro teve várias namoradas mas está sozinho agora e quer aventura e, sei lá, mas estou me sentindo cada vez mais atraída por ele. –Disse ela -
- E você...quer transar com ele?- Perguntei hesitante com medo da resposta.
Ela sorriu e me deu um beijo molhado e disse sem exitar.
- Sei lá... Ele é um tesão, mas tudo depende da gente se conhecer. Se pintar uma química e você quiser, pode ser.
Ela me mostrou as mensagens que trocaram e as fotos. O cara tem bom papo e é marombado, muito musculoso. Seu nome é Ronaldo. É moreno claro, tem cabelos cortados tipo escovinha, pois é soldado do exército, tem dezenove anos e mora em São Paulo. Mandou também uma foto do seu pau duro, mostrando que é bem servido de piroca. Me assustei.
- Nossa! Você gostou mesmo de um cara pirocudo, né minha gatinha safada.
Ela apenas fez que sim com a cabeça sorrindo seus lindos dentes brancos perto dos meus lábios, quase me beijando.
- E você. Não quer ver este pintão comendo minha bocetinha? – Falou ela mordiscando meus lábios.
Meu pau estava trincando de tão duro. Coloquei a mão em sua boceta por cima da calcinha e vi que estava encharcada e os bicos dos seus seios durinhos. Não tive dúvidas. Pulei em cima dela, arranquei sua calcinha e metemos gostoso.
No dia seguinte, entramos em contato com Ronaldo e marcamos um churrasco em nossa chácara no sábado seguinte para nos conhecermos e, quem sabe, alguma coisa a mais.
Eu e Claudia fomos para lá na sexta à noite, o Ronaldo ficou de nos encontrar lá no sábado de manhã.
Naquela manhã, eu já estava acendendo a churrasqueira e a Claudia tomava sol à beira da piscina super gostosa metida em seu biquininho preto apertadinho que deixava qualquer um de pau duro, quando Ronaldo chegou em seu carro. Fomos recebe-lo e, depois de devidamente apresentados, lhe mostramos a casa e o deixamos à vontade para trocar de roupa .
Depois que ele colocou sua bermuda, Ronaldo veio até a churrasqueira onde eu preparava a carne.
- Bonito lugar- Disse ele puxando assunto comigo.
- É!- Respondi- Dá pra passar algumas horas.
Enquanto conversávamos no Quiosque da churrasqueira, Claudia, de bruços, tomava sol na beira da piscina tendo sua bunda perfeita emoldurada pelo biquíni preto cavado.
- Ela é linda, não é?- Disse eu ao rapaz que mal conseguiu disfarçar seu desejo.
- Sim! É muito linda.- Disse ele quase babando.
- Então, Ronaldo, o fato de você estar aqui hoje é porque ela te escolheu, ela gostou de você e ir ou não pra cama com ela só depende de você.- Falei enfático.
- Eu sei, Paulo, eu e ela temos que nos conhecer melhor, não é?-
- Então o que você está esperando? Vá até lá e conquiste-a. Agrade-a. Faça pintar um clima entre vocês. Afinal, você é ou não é um conquistador?- Finalizei.
Ele me agradeceu, tirou a camiseta e a bermuda ficando só de sunga e correu até ela. O cara era forte mesmo; peito musculoso; barriga definida e braços grossos.
Ronaldo sentou-se ao lado de minha mulher e começaram a conversar. De longe eu os observava enquanto punha a carne para assar. Não conseguia ouvir o que diziam, mas percebi que estavam se entendendo bem, pelas risadas gostosas de Claudia que ecoavam pelo ar. Ronaldo estava conseguindo conquista-la.
A certa altura, Claudia levantou-se e pulou na piscina e foi logo seguida por ele. Brincaram feito duas crianças e pelas suas risadas percebi que minha esposa estava gostando dele.
Depois de algum tempo debruçados na beira da piscina, os dois saíram. Ele, gentil, entregou-lhe a toalha para que se enxugasse e tentou um beijo. Claudia se esquivou. Ela ainda não estava pronta.
Conversaram um pouco e, de mãos dadas, caminharam até a varanda da casa onde se sentaram no banco juntinhos um do outro como dois namorados.
Claudia estava linda com as pernas cruzadas realçando sua coxa maravilhosamente grossa e roliça. Seus cabelos molhados escorriam até aos seios enquanto seus olhos fitavam com interesse o macho que tentava seduzi-la.
A tudo eu observava da churrasqueira onde eu estava. Ele, sorrateiramente pousou a mão sobre o joelho dela. Claudia deixou que ele fizesse esse movimento. Percebi que ela estava cedendo. O rapaz estava conseguindo conquistar aquela femea.
Distrai-me por alguns instantes olhando a carne e quando voltei a observá-los os dois já se beijavam apaixonadamente como dois namorados sentados naquele banco da varanda. Claudia correspondia a seus beijos e acariciava seu rosto enquanto a enorme mão dele percorria toda a extensão da coxa de minha esposa. Meu pau já estava duro, imagine o dele.
Quando a carne ficou pronta, toquei o sino e os dois vieram abraçados como namorados. Ronaldo mal escondia o enorme volume que se formara sob sua sunga que parecia que ia arrebentar com a pressão daquela piroca.
Ao chegarem, Claudia me abraçou e beijou enquanto seu macho foi ao banheiro lavar as mãos.
- E aí, está gostando dele?- Perguntei.
-Há, bem, ele é um tesão né. Tem dezenove anos é todo fortão...Mas é meio crianção ainda, mas tá pintando uma química legal entre a gente e acho que vai rolar alguma coisa sim.
Percebi que os seios dela estavam pontudinho mas mesmo assim perguntei
- Você quer dar pra ele?
- Se você não fizer objeção...- Falou ela mordiscando meus lábios.
Depois do almoço, eu disse que iria até a casa tirar um cochilo e os deixaria à vontade.
O quarto para onde fui, tem uma enorme e antiga janela de madeira que da para a varanda e, apesar de fechada , possui frestas por onde pode-se enxergar lá fora. De dentro do quarto eu podia ouvir os dois se beijando e cochichando na varanda. Não resisti e fui espiá-los pela fresta da janela. Alias, quem resistiria? Vi , bem na frente da janela em que eu estava, Claudia em pé, tinha Ronaldo, abraçando-a por traz beijando sua nuca enquanto sua mão enorme acariciava a bocetinha de minha esposa por ciama do biquíni. De repente, ela se vira de frente para ele e pos-se a beija-lo na boca e se esfregar com desejo nele que estava com o pau quase estourando a sunga de tão duro.
As mãos dele amassavam com volúpia a bunda de Claudia. Sem poder aguentar mais, ele abaixou a sunga e encaixou aquele pau enorme e grosso entre as pernas de minha mulher e e tentou puxar o biquini de lado para penetrá-la, ela o impediu, então ficou fazendo movimentos de vai e vem, esfregando aquele pintão na bocetinha por cima do biquíni até que, sem poder mais segurar, Ronaldo ejaculou um rio de porra lambuzando entre as pernas de minha esposa com seu esperma. Percebi que ela também tinha gozado e, depois de um longo beijo, ela foi para o banho enquanto ele foi dar mais um mergulho na piscina.
À noite chegou. Depois do jantar, fomos para a sala. Eu coloquei uma música romântica no som e Claudia e eu começamos a dançar enquanto, Ronaldo nos observava do sofá.Foi pintando um clima e nos beijamos. Escorreguei a mão até a bunda de minha mulher e levantei seu vestidinho vermelho revelando sua bunda gostosa recortada pela minúscula calcinha branca. Ronaldo mordeu os lábios com desejo e acariciou o pau por cima da calça. Com um gesto de mão, chamei-o para que se juntasse a nós e ele veio sem demora e pôs-se a encoxar Claudia ao ritmo da música. Nessa hora o meu celular tocou e tive que atender, pois eram negócios urgentes. Claudia passou a dançar com o rapaz que a beijava sem parar.
Eu ainda estava ao telefone quando a música acabou. Minha mulher e seu macho foram para o quarto. Acenei dizendo que iria logo. Quando consegui me livrar do incomodo telefone e fui para o quarto, os dois já estavam ajoelhados no centro da cama king size, um de frente pro outro ( Ronaldo nú e Claudia só de calcinha) se beijando e se acariciando. Despi-me e sentei-me na poltrona aos pés da cama para apreciar a cena.
Seus beijos eram estalados e as mãos de Ronaldo não desgrudavam da bunda perfeita de minha esposa. Claudia, por sua vez, acariciava aquele membro enorme enquanto se beijavam. Sua mão delicada envolvia aquela tora toda cheia de veias punhetando-o bem lentamente.
Da poltrona, eu com o pau duro a tudo observava.
Lentamente, Claudia se abaixou sobre ele. Sua bundinha ficou exposta, provocantemente arrebitada. Não resisti. Fui até lá e puxei sua calcinha de lado e comecei a lamber sua xoxota cheirosa e seu cuzinho lindo enquanto ela mamava na vara do bombadão que logo a penetraria. Sua bocetinha estava super molhada e percebi que ela já estava no ponto de ser comida.
Voltei para a poltrona, pois estava louco para ver aquele rapaz meter gostoso naquela xoxotinha apertada.
Claudia se livrou da calcinha e deitou-se de pernas abertas e joelhos dobrados oferecendo sua fendinha para aquele pau enorme. Ronaldo colocou a camisinha e se ajeitou entre aquelas pernas gostosas. Acariciou com a cabeça do pau a bocetinha e foi atolando bem devagar. De onde eu estava sentado, dava pra ver perfeitamente aquele cacetão entrando na bocetinha loira de Claudia que gemia como louca tendo aquele hercules entre as pernas lhe comendo num gostoso papai e mamãe.
- Assim, Ronaldo, me come...me come...Atola esse pau todo em mim...- Dizia ela entre gemidos e o macho obedecia metendo com vigor. Seu pau grosso e comprido a preenchia toda e o barulhinho molhado dos sexos em fricção enchia o quarto.
- Nossa, com é apertada.- Dizia ele quase gritando de tesão .- você é a mulher mais gostosa que eu já comi.
- Deixa eu ir por cima um pouco, deixa, gato!- Pediu ela, pois era sua posição favorita.
Ronaldo se deitou e Claudia veio por cima dele enquanto eu assistia a tudo da poltrona aos pés da cama.
Ela se ajeitou em cima daquela tora e foi sentando bem devagar. Fiquei com muito tesão ao ver a bocetinha loira e cheirosa de minha mulher ir engolindo aquele mastro enorme.
- Que delicia...Como tá duro..- Dizia ela gemendo freneticamente.
Com movimentos compassados, Claudia o cavalgava fazendo com que o pau entrasse e saísse gostosamente arrancando gemidos de Ronaldo que, em delírio apertava aquela deliciosa bunda com suas enormes mãos.
Seus movimentos aceleraram e agora o cacete entrava e saia freneticamente da bocetinha.
-Eu vou gozar...- Gritou o rapaz enquanto Claudia rebolava em cima dele que gozou gostoso em minha mulher. Ela também gozou e os dois se largaram exaustos na cama.
Eu que assisti a tudo, estava morrendo de tesão e com o pau super duro. Não aguentei e fui para a cama com eles onde a gata estava deitada de bruços. Comecei a beijar sua nuca enquanto acariciava sua bunda deliciosa. Ronaldo levantou-se e foi ao banheiro se livrar da camisa e tomar um banho.
-Curtiu, amor, ver sua mulherzinha ser comida por um bombadão.- Disse ela entre risinhos enquanto eu chupava sua nuca.
- Adorei e estou morrendo de tesão. Olha como meu pau está duro.
-Quer me comer também meu gato?-
-Quero comer seu cuzinho lindo. Você dá ele pra mim?
-Claro, querido. Ele é todo seu, só seu.
Ela puxou o travesseiro para debaixo de sua barriguinha fazendo com que sua bunda arrebitasse ainda mais enquanto eu lambuzava o caralho com lubrificante KY. Ela abriu as pernase eu fui por cima e atolei bem devagar em seu cuzinho gostoso.
-Aiiii...Hummmm....- Gemia ela enquanto eu metia com vontade.
Nesse momento, o Ronaldo já tinha saído do banho e estava em pé ao lado da cama nos observando e tocando uma punheta.
Quando eu já estava pra gozar , tirei o pau pra fora e ejaculei em sua bunda .
Depois fomos para o banho os três onde brincamos mais um pouco.
- E aí?- Perguntei assim que o Ronaldo foi embora no dia seguinte.- O cara correspondeu às suas expectativas?
- Sinceramente, não. O Jorge ainda é melhor. E por falar no Jorge, Você tem notícias dele?
- Por que? Cê tá com saudade?
- Acho que tô- Disse ela sorrindo e me olhando seu olhar mais sacana.
Continua...
Paulochf85@gmail.com


Comentários

07 de Dezembro, 2017 às 17:56
pautezagru
Adorei, fiquei toda molhadinha.

1