Buscar no Portal

04 de Dezembro, 2017 ŕs 20:02 Por: wK1

Tirei o marido do armário

tags: Esposa puta; marido viado???
Esse conto possui 2614 visita(s).

Sou Raquel, 42 aninhos, moreninha safada dos seios grandes, bunda gulosa, casada mas liberada pelo marido.

Meu marido voltou de viagem dos Estados Unidos e estava querendo preparar uma nova surpresa para ele. Tenho percebido ultimamente que ele adora me lamber banhada a porra, muitas vezes com aquele cheiro forte que fica de espalhada pelo meu corpo, Cheiro de saco mesmo.

Tá na cara que ele deve estar doido para experimentar uma pica na boca, mas não tem coragem de me dizer. Até perguntei um tempo atrás, mas ele desdisse e ficamos nisso. Então resolvi colocar a prova, afinal uma pica dura na boca não tem coisa igual, e não vou deixar o meu corninho passando vontade.

Contratei um travesti e fingi ser minha amiga, avisei ele que iriamos comer uma amiga minha no motel, que pegariamos ela e iriamos direto para lá. Pegamos a “moça” no lugar combinado. Ele era linda, seios fartos, quadril definido, coxas grossas, rabo avantajado. Realmente se você não enfiasse a mão não iria saber que tinha um bilau ali. E que bilau, bem maior do que do mor. A garota era top.

O papo rolou gostoso até chegarmos no motel. Ela estava atras e eu na frente com o mor. Vim esfregando a rola dele por cima da calça mesmo. A danadinha já estava dura.

Eu: - Vai, senta o reio na Suelen que ela está louquinha para meter mais o marido dela não dá conta. (esse foi o nosso combinado).

Ele jogou ela na cama, começou a apalpar os seios, chupando eles delicadamente enquanto apalpava sua cintura. Ele gemia com mulher casada, suave, suave. Kkk. Eu já no tesão, abaixei a saia e tirei a calcinha, ficando só de cinta-liga e top. Salto alto é claro. Me encostei na parece e comecei a me siririca vendo o mosão traçando delicionsamente a Suelen.

Suelen: - Ai delicia, ai gostooosoo.

Mor: - Vc ainda não viu nada.

Eu: - Vai mor, tira a calçinha dela.

Mal ele coloca a mão na saia e levanta já vê o volume. A danada da pica já queria saltar. Ele só olha para mim e eu me siricando toda: - Supresa mor. para você.

Ele abaixa a calcinha dela e a pica se mostra. Acho que eram bem uns 20 centímetros de rola. Me sento ao lado dele e coloco a pica dela na boca dele.

Eu: - Chupa mor, senti como é gostoso uma rola grossa na boca.

Eu fazia o vai vem da cabeça dele na rola da Suelen. Era muito grande e ele sem experiência ainda não conseguia colocar inteira na boca. Dava para ver o sorriso gostoso dele com a rola na boca.

Eu: - Vai mor chupa tudo, o saco, as bolas, não tenha vergonha.

Mor: - Sua safadinha.

Eu: - Sou sua putinha, mas hoje a putinha será você.

O safado tira a roupa, se joga na cama e começa uma 69 de rolas. eu não resisti e comecei a fotografá-lo nesta orgia. Ele então se empolgou e chupava igual puta quando ve um pau (euzinha).

Suelen: - Gostou né safado. Sua mulher quer ele todo dentro do seu cú.

Ele nem tirava a piroca da Suelen da boca. Peguei então o Ky e comecei a passar no seu cú, enfiando os dedos para entrar o Ky. Ele gemia igual uma cadela e rebolava no meu dedo. Sabia que o meu marido era um viadinho. Esse negócio de ver a esposa na pica de outro é só para ter desculpa de ficar perto das rolas.

Coloquei uma cinta com uma pica de silicone bem fininha para alargar primeiro o rabo do meu marido. Coloquei ele com as pernas abertas enquanto chupava a rola da Suelen sentada a cama. e Só falei: - Segura mor, que agora vc vai ver o que é bom.

Meti degarinho e enquanto ele chupava a rola da Suele eu socava no seu cú.

Suelen: - Caralho, seu corninho é experiente, já tá até rebolando na pica.

Eu: - Deve ter aprendido me vendo.

Mor: - Vocês me pegaram de surpresa.

Eu: - Sei, toma pica no seu cú corninho viado.

Mor: - Ai não.

Eu: - Ochi mor, o que que tem ser viadinho da puta. Agora a gente pode se deliciar com as rolas dos machos juntos. Imagina o pirocao do Ricardo no seu cú.

Mor: - Tá louco. (O Ricardo é um primo meu que tem uma rola de 23 cm, e grossa, muito grossa. Ele entra rasgando o nosso cú, só dei 2 vezes para ele. O rabo é claro).

Suelen: - Quer comer meu cú primeiro.

Mor fez que sim, colocou a camisinha e meteu no rabo da Suelem. Eu desci e comecei a ordenhar aquela rola gosotosa, já babada do mozão.

Suelem: - Aiii delicia, mete mais viadinho, mete amis.

Mor metia sem dó e ela entrava e saia facinho. Eita rabo largo. kkk.

Eu: - Deixa eu comer também. ( Eu ainda com a cinta meti no rabo da Suelem) Gosto de comer um rabinho também.

Fizemos um troca troca na Suelem, mas a hora do vamo ver era no cu do mozinho. Coloquei ele de Frango assando e pedi para ela começar a enfiar. Ele arregou com uns 5 cm. Me coloquei na mesma posição e ela começou a meter no meu rabo. Entrou inteirino sem nem chorar.

Eu: - Viu mor, assim que faz, agasalha direito essa rola no seu rabo.

Mor: - Mais dói para caralho.

Eu: - Só com experiência que isso melhor. Quero ver pelo menos a metade.

A Suelem ria da nossa fantasia: - Vcs são muito loucos.

Eu: - Vai ficar só chupando rola, Rola foi feita para meter na buceta ou no rabo. Como você tem buceta vai ter que ser no rabo mesmo.

Mor: - Também, vc me traz logo uma piroca do caralho.

Tentamos mais algumas vezes mais o rabo dele não estava para pica. Então só me restava ver ele recebendo aquela porra toda na cara como eu recebo. Nesta hora ele já estava mais conformado de ser viadinho e se colocou de quatro no chão com a cara para cima.

Eu: - abre a boca que quero porra lá dentro.

E a porra veio quentinha e viscosa. Primeiro na cara, depois na boca. E era muita porra que até quase encheu sua boca. Não resisti e joguei nos seus braços tascando-lhe um beijão. E a porra escorria pelas nossas caras. Eu juntava com o dedo e trazia para boca.

Eu (sussurando): - Vai tomar tudo seu viadinho, não é isso que vc gosta.

Mor: - Gosto, gosto mesmo.

Depois, mais a noite ele me revelou que tinha vontade de experimentar, mas tinha um certo receio. Eu disse para ele sossegar, que depois de tudo que já fizemos juntos não é pelo fato dele gostar de rola e porra que eu iria gostar menos dele. Inclusive isso vai nos propiciar novas experiências e fantasias.

Trepamos ainda a noite toda e a conta foi salgada, mais valeu a pena.

Beijos a todos e estou feliz porque o corninho também gosta de rola.

Comentários

Ainda năo há comentários para esse conto.