Buscar no Portal

01 de Dezembro, 2017 ŕs 08:29 Por: Ibida

Marido sabe que a esposa levou nos buraquinhos

tags:
Esse conto possui 1458 visita(s).

(por Maísa Ibida)... Cont.; de meu marido que pediu pra ser corno. No dia marcado fomos à busca do meu futuro comedor e tudo levava a crer que meu marido seria manso e houve as tradicionais apresentações e fomos para casa e pedimos que ficasse a vontade que iriamos trocar de roupas.

Ao meu pedido o meu marido desce e vestir as peças e desci e eles já estavam bebendo e meu marido diz que tinha feito pouca caipirinha e saiu pra comprar cervejas e eu já estava altinha pelo álcool liguei pro meu marido e disse pra ele ligar antes de vim e não se preocupar que a esposa comportada vai fazer ele de corno.
E fui me deitar na borda da piscina e pedi para trazer o que restava de caipirinha e o óleo de bronzear e peço pra ele passar em minhas costas e o celular toca e passo a seduzir o namorado de minha amiga abrindo às pernas deixando a mostra às pregas.
E me sentei e olho direto pra sunga dele e resolvi fazer a vara endurecer e estico o braço e encostando de leve sobre a rola e pedi para colocar o que resta de caipirinha e em seguida meu marido chega e ficamos no papo e por fim a noite se aproximava era hora dele ir.

Subimos e me visto como esposa caseira que sou ou pelo menos eu era até o marido pedi pra eu da pra outro e meu marido pediu que ele fosse comprar cigarros e assim nosso visitante saiu, o plano era forçado, mas era o jeito.
E troquei as roupas de esposa exemplar por maquiagem sexy, minissaia, botas de couro e uma calcinha que nem cobre o rego e me transformando na putinha sonhada que tantas bronha renderam ao amado.
E dando um beijo de língua nele e o proibir de bater uma, espere a esposa que ela bate uma pra você. E assim sair de carro e pequei-o no caminho e disse pra ele não se preocupar que meu marido achou uma carteira de cigarros, mas de tão bêbado caiu na cama que roncava e eu poderia leva ele pra casa e ele até que tentou protestar dizendo que pegaria um ônibus, mas ligo a luz do carro, ele fica surpreso por eu estar com roupas e maquiagens diferente das que usava em casa.

Ele entrou e sai dirigindo e ele sugeriu no caminho paramos em um barzinho que ficava a um quarteirão de casa e ele voltaria pra casa de ônibus e claro que concordei, o plano estava saindo melhor que encomenda.
E logo ele estava me convidando a dançar e falei que eu sentia o pau tá duro e a namorada dele a Carlinha é minha amiga e ela não sabe que eu mamava tua rola, mas nunca comestes a boceta e nem a bundinha e nem poderia que eu tão nova e principalmente não ia aguentar no apertadinho.

E depois voltamos à mesa e sem pudor digo que tenho vontade que outro coma, que me fizesse mamar e me enrabasse. Mas eu disse que estava tarde, mas se fossemos pra perto de casa poderíamos continuar nossa conversa a vontade.
E liguei ao meu marido que atendeu e falei que quando chegar eu vou realizar todos os desejos. E assim estacionei o carro atrás de casa com poucas residências e empresas fechadas e a luz do quarto estava apagada e saímos do carro e desafivelo o cinto e coloquei a mão no pau e meu papel de puta na teoria passou a pratica e me tonava vagabundinha de carteirinha e iria me diplomar com um cacetâo a pedido do marido.
E vi que tinha um carro estacionado na esquina e o puxei-o pelo cacete e fomos para um poste que fica perto do muro de casa e tem uma arvore a proteger e pensei na visão que não privilegia o marido.
E me agachei e coloco a cabeça de sua rola em minha boca e chupei a cabecinha. Mas isso é fácil pra qualquer mulher, mas enquanto ao resto de um membro grosso não é pra qualquer uma. Mas aos poucos consegui...
Mamei sem pressa e foi quando senti o pau dele inchar e ele me segurou pela cabeça e a primeira parte do meu cursinho estava sendo concluída com louvor e recebi em fortíssimos jatos de porra e abrindo a boca recebi o restante e ele batendo com a vara na minha face e levo mais três jatos nos cabelos e deixei o excesso que havia escorrido pela testa deixando o rosto brilhar.
E nos cabelos fiz questão de deixar que meu marido veja a quantidade de esperma e ele vai lamber e fomos nos sentar no capô do carro e partimos pra deliciosos beijos sendo interrompida por ele, me mandando que me curvasse e deitasse encostando minha barriga no capô e levantei a saía e abaixei a calcinha até os joelhos e deixando sua rola na entrada da buceta e ele foi fodendo a xotinha.

Eu logo ordenei me fizesse gozar, ele acelerou e rebolei gostoso e gozei e vendo que ele não tinha gozado e com certeza a bebida o fez retardar o gozo e levantei uma perna e apoiei no para choque e dobrei meu corpo e com as mãos abri toda a bundinha e me ofereci pra se enrabada e disse agora comer meu cu, ele começou a passar a ponta do dedo do ao redor e foi entrando no compasso da minha requebrada.
E segundo ele, eu sentiria o pau abrir meu ânus e olho em direção à janela de casa e sabendo que meu esposo a tudo assistia e eu apertava os lábios por estar sendo arrombada, dizendo... Aiiii meu cuzinho tá doendo, mas eu quero isso come que meu marido dorme e mereço uma pombada certeira no cuzinho e se eu soubesse que era tão bom da à rosca...

E Sabendo que meu marido nesse momento poderia até ouvir minhas suplicas de esposa gritando de dor levando na sua argolinha e assim ele deveria estar acelerando a punheta. E já não ardia muito e com a metade do pau dentro... Pensei, é hora do show e meu marido me vai ver e começo a rebolar tal qual uma putinha até que parei e sentir ir enfiando o resto dilatando por completo o “anel”.
E as pregas cedem e passo as minhas estocadas possibilitando a ele bombear com vigor e dei um grito pro meu marido escutar ao sentir que estava preste a receber a famosa cota de leitinho na bundinha de esposa putinha e acelerei na minha masturbação pra gozar.
E falei as palavras finais de uma esposa obediente... Em casa o masturbarei pra ele não ralha comigo pra ele não desconfiar por demorar muito e que a esposa dele estava dando a argola, pois vou chegar com o ânus frouxo e não aguento mais pombada.
E tendo recebido a gozada tirei-o de dentro e puxo a calcinha e ele disse se um dia quiser repetir teria prazer em me fazer feliz e eu disse quem sabe, quem sabe, pois descobri que mesmo amando é gostoso sair pra dar a bundinha pra outro e receber esperma na boca.
E levei-o na parada de ônibus e lembrei a ele que meu marido nem a Carlinha poderiam ficar sabendo. É claro que ele não vai contar, mas faz parte no final dizer que é segredo. E agora sim nos despedimos de vez e voltei pra casa.
Agora a parte mais gostosa, encontro meu marido de pau duro ele viu o esperma no meu cabelo... E vocês sabem a gente fudeu muito e contei, aliás, eu gritei da mesma forma quando meu marido comeu meu cuzinho afinal sou uma esposa obediente me mandou dar e eu dei.

Comentários

10 de Dezembro, 2017 ŕs 00:35
SEVERUS
ótimo mais uma vez, que mais posso dizer.
02 de Dezembro, 2017 ŕs 11:28
Ibida
Olá Gatoksafado procurei seus contos até a pagina 53 e não achei nada e procurei até na net pelo nome Gatoksafado e nada. E ficarei atenta caso veja um conto seu sendo publicado tens minha atenção...Bjs Maísa.
01 de Dezembro, 2017 ŕs 18:43

Ótimo conto...Adoro mulher safada... Quer seja por curiosidade... Quer por desejo... Adoro ver uma mulher sentir prazer e descobrir seus desejos e vontades... Leia meus contos tbm. Se quise add... (47)9954-7639

1