Buscar no Portal

10 de Outubro, 2017 ŕs 20:59 Por: Chaves Junior

Conto erótico: Ensinando sexo selvagem para uma casada comportada.

tags:
Esse conto possui 2024 visita(s).

Esse é uma das minhas muitas experiências que tenho, e resolvi contar com essa, tudo que relatarei aqui, aconteceu realmente, essa história aconteceu agora no mês de abril, conheci uns vizinhos de um amigo, que mora próximo de minha mãe, e sempre que iria visita-la cumprimentava eles, eles são casal jovem, o marido tem 25 anos e a esposa 21, e tem uma filhinha de 2 anos, o nome da esposa é Fátima, uma mulher linda, que na primeira vez que vi, fiquei aceso por ela, mas sempre respeitando meus limites, com o passar dos tempos eles me disseram ser evangélicos e papo vai papo vem, a gente começou a ficar amigos as vezes ia na casa deles com minha esposa e filhos e passávamos bons momentos juntos e eles também, sempre vão lá em casa. bom certo dia me matriculei em um curso de informática, pra aprender a fazer planilhas de Excel, pois não tinha muito conhecimento do mesmo e pra minha surpresa, a Fátima também havia se matriculado lá e dai sempre a gente se falava e tal’s, até que certo dia nossa conversa chegou no assunto sexo, ela disse que seu marido era muito carinhoso e , eu disse que também era muito carinhoso, mas que gostava mesmo era de um sexo bem selvagem, ela sorriu e disse que não sabia nem como era esse sexo selvagem, que seu marido foi seu primeiro namorado e etc. bom, eu disse a ela, que conversasse com ele, sobre isso, ela disse, nem morta, ele não gosta de falar sobre isso. eu disse a ela e porque não, ela disse, ele é tradicional, gosta das coisas certinhas e etc. num impulso, eu disse a ela, se você quiser posso te dar algumas dicas e você faz com ele, ela ficou sem graça e não disse mais nada. Se passaram os dias e de repente ela falou assim, hoje eu queria sair mais cedo, antes do curso terminar, mas meu marido não pode vir me buscar, eu disse a ela, eu posso te levar se você quiser. ela disse, que não queria incomodar, porém com minha insistência ela aceitou e a gente saiu, no trajeto perguntei se ela tinha falado com o esposo sobre o sexo selvagem, ela riu e disse que não, mas que se eu quisesse dizer a ela como funcionava, nossa eu fiquei de pau duro na mesma hora.
Ela percebeu, porem até ai tudo bem, disse a ela alguns detalhes e ela disse, nossa, deve ser muito bom, mas meu marido, não toparia isso, nem morto. eu disse: olha Fátima, você é uma mulher linda, nova, e deve se manter para seu marido, porém se você tiver afim, eu te mostro algumas coisas na pratica, ela disse: tá louco, e sua esposa, se ela sabe de umas conversa dessas, ela me mata. eu lhe disse, ela não precisa saber, se você tiver afim, a gente vai pra um motel, amanhã e dai a gente só faz algo se você quiser. ela disse, você é louco. E nada mais falou, a deixei em casa e pensei comigo, tô ferrado, ela vai ligar pra minha esposa e contar tudo. fui pra casa e no outro dia, fui ao curso e lá estava ela, dei boa noite e quando fui entrar na sala ela disse, e o nosso combinado. nossa eu disse, eu tô disposto e você, ela disse, vamos, antes que eu me arrependa. Saímos e fomos direto para um motel, chegando lá, liguei a tv e ja apareceu um cara enrabando uma mulher, ela disse, nossa, o cara ta socando no cu dela, eu disse, sim, vc nunca deu o cuzinho não ela disse, nem morta. eu falei mas isso faz parte do sexo selvagem, ela disse, nem pensar, eu sorri e falei vou ao banheiro, ela disse, ta bom, eu fui ao banheiro e fiquei de lá observando ela vendo o filme, depois de alguns minutos, sentei ao seu lado e fiquei vendo o filme com ela, e ela não me olhava nos olhos, somente para tv, eu nada falei, somente peguei sua mão e coloquei sobre meu penis, por cima da calça mesmo, ela tirou na hora, eu tornei a colocar a mão sobre meu penis e dai ela deixou a mão parada, porem começou a mexer devagar e aquilo foi em excitando muito, eu abrir o zíper e ela pegou nele, porém não olhava pra mim, somente para a cena na TV, eu perguntei se ela estava gostando da cena ela só balançou a cabeça dizendo que sim, eu abrir sua blusa, e ela não esboçou reação nenhuma, e vi seus lindos seios, nossa, que delicia, lindos, médios, bicos rosados, durinhos, comecei a acaricia-los e perguntei a ela, se poderia deita-la sobre a cama, ela concordou e dai tirei toda a sua roupa, ela não deixou eu tirar sua calcinha, eu concordei e comecei a sugar seus seios, ela começou a gemer gostoso e subi até sua boca e dei-lhe um beijo gostoso e demorado ela retribuiu como se fosse um sorvete, um beijo cheio de tesão, eu tirei sua calcinha e desci beijando ela toda até chegar em sua bucetinha, estava com muitos pêlos, mas meti a lingue e suguei gostoso, enquanto minhas mãos apertavam seus seios, ela gemia e faltava empurrar minha cabeça pra dentro dela, e eu a fiz gozar gostoso, dai antes dela pensar eu puxei-a pelos cabelos e disse: vem aqui puta safada e chupa meu pau, sua vadia. ela veio e caiu de boca, eu falei chupa direito sua vadia, e meti até o talo na boca dela, meu pau mede 18cm apenas, e ela o engoliu tudinho com sua linda boquinha, dai a joguei na cama e disse, fala o que você quer fazer sua cadela safada, ela disse, me diz você, eu falei a vadia gosta de levar pau nessa buceta, ela disse, sim, eu quero, eu coloquei uma camisinha e chequei perto dela e disse, fica de 4 sua vagabunda, ela se virou e eu meti em sua buceta, e comecei a meter forte e depois comecei a bater em sua bunda e xinga-la de safada, de cadela de puta, ela gemia alto e falava me come, vai … come sua amiga, eu disse a ela, vc não é minha amiga, vc é minha putinha e de hoje em diante vai ser fodida sempre. ela disse: vou sim, mete mais forte, vai me arregaça seu filho de uma puta, eu disse, é isso ai, safada, e depois a virei e a comi na posição frango assado, metia forte, xingava ela, e disse que iria gozar e que iria ser eu seu rosto, ela disse, não por favor, eu tirei meu pau e rapidamente gozei sobre ela, melando, rosto, cabelo, boca, tudo, ela saiu correndo para o banheiro e se limpou, quando voltou, perguntei a ela, o que ela achou ela, disse, nossa que delicia, quero mais, eu disse, amanhã faremos mais e saímos. deixei ela em casa, mas no dia seguinte ela não foi na aula, e isso era numa sexta feira, só vi ela no domingo, quando fui visitar minha mãe e dai a vi, conversamos e marcamos pra um outro dia. Nos próximos contos eu falo como foram os próximos encontros com essa gostosa.

Chaves Junior.

Comentários

12 de Outubro, 2017 ŕs 11:37
pinguim
muito bom o conto!

1