Buscar no Portal

07 de Outubro, 2017 ŕs 15:44 Por: kasa

Mara - mais transa na semana do casamento

tags: transa, traição, 69, gozo, boquete, oral
Esse conto possui 1895 visita(s).

Mara - amantes - mais transa na semana do casamento dela. (Conto Real)

Semana casamento 4ª - 6ª feira

4ª Feira

Conversamos muito na noite anterior por telefone, ela estava sozinha em casa, disse que havia contado tudo para sua amiga que iria chegar na 6 ª Feira, e que ela queria me conhecer. Marcamos de nos encontrar na parte da manhã por volta das 10h30.
Conforme combinado, assim que chegamos, ela deixou o carro e saímos no meu, fomos imediatamente para um motel.
No caminho fui acariciando as belas coxas dela, estava de mini saia preta e uma blusinha rosa, estava linda e deliciosa como sempre, e ela por sua vez foi alisando e pegando no meu pau, beijando meu pescoço e me enchendo de carinhos.
Assim que chegamos ao nosso destino, entramos e já abraçados e se beijando caímos na cama e brincamos assim por alguns minutinhos e aos poucos as roupas dela e minhas foram se perdendo pelo chão e pela cama. Primeiro foi a minha camisa e na seqüência a blusa dela, ai já aproveitei e também tirei a sairá dela, deixando-a só de calcinha, uma tanguinha bem pequenina na cor preta, com isso mostrando ainda mais aquele corpão maravilhoso, suas coxas roliças e seus peitos perfeitos, imediatamente comecei a arrancar isso mesmo arrancar a calcinha dela deixando-a totalmente nua, e sem a calcinha pode vislumbrar aquele corpo delicioso e ainda mais admirar as marquinhas de sol que ela exibia, marquinhas de um mini biquíni. Ela também arrancou a minha calça e junto a cueca deixando a mostra o cassete que ela passou a gostar e a querer cada vez mais.
Assim que estávamos totalmente nus, deitei de costas e a coloquei em posição para ela me chupar e eu a ela, fizermos um 69 demorado e delicioso em que nos dois estávamos totalmente excitados, naquela posição além de chupá-la eu ainda observava e brincava com aquele rabinho lindo e maravilhoso, brincava de dedilhar e enfiar meu dedo naquele cuzinho que eu tinha comido e adorado.
O tesão aumentando cada vez mais, a deitei na cama e na posição “papai mamãe” a penetrei facilmente com meu cacete preenchendo totalmente aquela bucetinha que já estava latejando de tesão. Foi uma estocada direta e depois comecei a brincar de entrar e sair, deixando-a loca de tesão, com isso ela gozou e não parava de pedir que queria mais.
Nisso a levantei e a posicionou de quatro, uma posição que tanto ela como eu adorávamos fazer amor, e mais uma vez a penetrei, primeiramente bem devagarzinho, depois com inúmeras estocadas firmes e ao mesmo tempo a puxando pela cintura ao meu encontro, para isso poder penetrá-la mais fundo, ela gozou novamente.
Paramos alguns minutinhos, relaxamos, descansamos e fomos para o chuveiro, antes pedi o almoço para dois.
No chuveiro tomamos banho juntinhos abraçados, nos beijando muito e com isso o tesão foi se ascendendo novamente, quando de repente simplesmente mal fechando a água do chuveiro a levei diretamente para cama, totalmente molhados, cabelos encharcados, novamente a posicionou de quatro e mais uma vez soquei meu pau durinho até o fundo, ela gemendo de prazer, só dizia que queria mais, me fode mais, eu não parava de socar meu pau naquela que era a bucetinha mais deliciosa que já conhecera, fiquei ali estocando, estocando até que gozamos novamente. O almoço já havia chegado, descansamos uns minutinhos, simplesmente olhando um para o outro deitados ali lado a lado, sem dizer uma única só palavra, o silêncio já dizia tudo, estávamos felizes e satisfeitos e logo depois fôramos para a mesa almoçamos.
Durante o almoço, conversaram sobre o casamento, lua de mel, ela iria passar 5 dias em Miami e Fort Lauderdale e depois mais 10 dias na Cidade do México. Já fazia uns 30 minutos que estávamos ali sentados conversando foi quando ela novamente veio e sentou-se no meu colo e imediatamente começou a me beijar e abraçar, eu a acariciava nas coxas e com a outra mão aquela bundinha deliciosa e ao mesmo tempo beijava o pescoço, o colo e os seios dela. Não demorou muito e a excitação já era sentida por ambos, eu já estava de pau duro e ela já agachada me acariciava com as duas mãos e me beijava e sugava aquele pinto que lhe dava muito prazer. Novamente fomos para cama me deitei e a posicionei sentada de costas para mim e a penetrei na bucetinha, desta vez ela tinha o comando da penetração com seu corpo inclinado para frente, assim começou um frenético vai e vem e gozou loucamente, eu vendo aquele cuzinho lindo e gostoso a mostra bem a minha frente, enfiei meu dedo nele e comecei a brincar com ela, foi nesse instante com meu pau na bucetinha e meu dedo enfiado no cuzinho que ela gozou novamente e mesmo assim continuou com o vai e vem até eu gozar toda minha porra dentro dela.
Depois de um breve descanso e uma nova ducha, nos vestimos e fomos embora pois já passava das 15h30 e estavamos totalmente atrasados para os compromissos de cada um, antes marcaram um novo e breve encontro para o dia seguinte.

5ª Feira

Na quinta feira o encontro foi bastante breve, ela tinha que fazer compras no supermercado, afinal seus pais iriam chegar logo cedo no dia seguinte, e outros preparativos para o casamento.
Encontramos-nos em uma rua normal próxima ao parque da cidade, ela veio para o meu carro, conversamos foi quando ela comentou e ao mesmo tempo levantando a saia e mostrando:
- olha como você me deixou novamente ontem, de tanto socar esse cacete gostoso em mim, estou toda inchada, mas eu adorei de verdade ter ficado assim.
Ela estava com bucetinha totalmente inchada de tanta fricção do entra e sai do pau, de tão inchada, chegava até estar um pouco deformada, eu simplesmente dei-lhe um selinho na bucetinha e disse:
- ainda bem que gostou, senão eu ficaria preocupado
Ela respondeu:
- claro que gostei, isso só prova o amor, tesão e prazer que sentimos um pelo outro.
Logo depois disso fomos embora, ela disse que ligaria mais tarde para combinarmos algo para o dia seguinte.

6ª Feira

Com os pais em casa e sua amiga Adriana chegando, estava difícil arrumar tempo para ficarmos juntos ainda mais que ela se casaria no dia seguinte.
Encontramo-nos a uns 50 metros da academia que ela freqüentava, foi a única desculpa que conseguiu inventar para os pais e poder sair sozinha. Desta vez eu desci e me dirigi para o carro dela. Sentados ali conversamos muito sobre os pais, sua amiga Adriana, disse que gostaria de me apresentar a sua amiga, e é claro sobre o casamento, foi quando ela disse algo que me deixou espantado:

Ela - infelizmente vou me casar amanhã, mas agora é contra minha vontade, depois que nos conhecemos não quero mais casar, só não suspendo tudo, porque não quero decepcionar minha mãe e principalmente meu pai, não sei se ele suportaria isso, devido a idade dele.
Isso me deixou meio que atordoado, sem saber o que fazer, mas disse para ela:

Eu - também não gostaria que você se casasse, se resolver suspender tudo, que é tudo que eu desejo, estarei ao seu lado o tempo todo, se quiser arrumo um local para você ficar, ou um hotel se preferir, você quem sabe. Se você se casar e depois quiser se separar para ficarmos juntos, para mim tudo bem, vou te aguardar.

Ela - agora eu não tenho coragem de suspender tudo, pelo que eu já te disse a respeito de meus pais, mas quero sim continuar com você.
Trocamos um longo e amoroso beijo e continuamos a falar dos pais e da amiga, ela recostada na porta do carro com os pés em cima do banco do carro, tirou o tênis e sentada ali durante as conversar ficou passando seus pés por cima da minha calça, alisando e fazendo carinho no meu pau. Isso me deixou maluco, com enorme tesão, foi quando disse para ela brincando e já abrindo a calça:

Eu - olha só o que você esta fazendo comigo de novo, rsrs

Olhando aquele pau durinho ela não pensou duas vezes e disse:

Ela - assim eu não agüento, quero chupar você querido

Imediatamente, ficou de joelhos no banco do carro e baixou-se e começou a chupar o meu pau, ali no meio da rua, com inúmeros carros passando e algumas pessoas, tamanho era o tesão dela por mim, sugou, beijou lambeu, mamou até que eu gozasse em sua boquinha, olhou para mim, engoliu toda a porra passando sua língua ao redor de sua boca e disse:

Ela – como te prometi, engoli e agora eu vou lamber tudinho

Continuou a beijar e a lamber até que não restasse mais nenhum vestígio de porra.

Depois disso infelizmente nos despedimos e fomos embora, ela ainda disse que queria me ver no dia seguinte, para isso ligaria mais tarde para combinar.

Continua...

Comentários

Ainda năo há comentários para esse conto.