Buscar no Portal

03 de Janeiro, 2017 às 15:33 Por: wK1

Fui exibir a xana na praça e acabei dando para um negrão no motel

tags: Esposa puta
Esse conto possui 12201 visita(s).

Num sábado deste, antes do final do ano, saímos eu e meu mozão para um praça afim de tirar umas fotinhas sem calcinha. Fotos sentadas na grama, sentada nas cadeiras da praça, com a saia levantada nas academia de idosos. Tudo muito discreto, mas a luz do dia.
O gente vai se esquentando e vai se acostumando com o pessoal passando. A principio ninguém tinha notado nada. Estávamos tirando algumas fotos encostada em uma arvore com a sainha levantada mostrando toda xaninha raspada, quando percebo que lá no fundo, umas 2 arvores para traz tinha uma senhor, negro, forte nos observando. Falei para o mozão que disse que não tinha problema, ele estava sozinho. Se tivesse com namorada, ou se fosse criança pegaria mal.
Daqui a pouco percebo que ele se aproxima e senta na arvore mais próxima, meio de lado, com óculos escuros não dava para ser se nos olhava ou sei lei o livro que trazia a mão. Aquilo me atiçou mais ainda. Aproveitei e tirei a camisa e tiramos algumas fotos rápidas com os seios e a buceta de fora.
Demos uma disfarçada e saímos de lá. Nos sentamos do outro lado da praça e logo percebemos que o senhor nos seguia. Como estava dia claro, não nos preocupamos. Mas ficamos na nossa, a essa hora chupando um sorvete. Ele então se aproxima e senta-se ao nosso lado.
Senhor: - Boa tarde.
Mor: - Boa Tarde.
Senhor: - Vi que estavão tirando fotinhas de exibicionismo. Vcs vem sempre aqui para tirar?
Mor (meio surpreso com a direta): - Não, na verdade é a primeira vez.
Senhor: - E a senhor, gosta só de fotinhas.
Eu (já assanhadinha): - Claro que não, isso é só para aquecer.
Mor: - O senhor nem imagina do que ela é capaz.
Senhor: - Não imagino mesmo, mas se quiser posso ajudar.
Eu: - Claro que pode, pode sim.
Mor: Do que vc está falando???
Senhor: - O que o senhor acha? Do que a madame gosta?
Eu: - Gosto de rola, rola grossa.
Mor: - Vc é muito putinha mozão, assim o que ele vai pensar?
Senhor: - Sem problemas, com certeza nisso eu posso ajudar.
Eu: - Viu mor. E olhando pelo seu porte até imagino o tamanho da danada.
Ele, se gabando: - 22 centímetros e muito grossa.
Alguns pessoas passaram a nossa frente e tivemos que nos conter nos comentários. Então para finalizar eu: - Temos que fazer algumas coisinhas pela cidade, se o senhor tiver afim de comer uma esposa muito puta passamos aqui as 18:00 h e te pegamos. Mas vc paga o motel.
Senhor: - Combinado. Estarei esperando, mas como posso ter certeza que não me darão um bolo?
Olhei para o lado e não vi ninguém, sai do lugar onde estava sentado e sentei ao lado dele, peguei sua mão e coloquei embaixo da minha sainha, sem calcinha.
Eu: - O que o senhor acha, ache que estou brincando. (enquanto ele acariciava minha buceta com aquele dedão negro grosso, fazia cara de quem estava pensando).
Senhor (tirando o dedo da minha xana): - Agora acho que não. Mas vai preparando porque vai levar uma surra de rola que num levou.
Passamos as 18:00h em ponto e quem estava lá nos aguardando, O senhor, que chamarei de Pedro, todo arrumado, tinha trocado a camisa, estava todo cheiroso, recém tomado banho. Notei o capricho no perfume de homem. Assim não tem putinha que resista. Cumprimentamos-nos rápido e entramos no carro. Eu, é claro, me sentei atrás com o Pedro, enquanto maridinho nos levava para o motel. Enquanto sem o menor puder acariciara a rola do sortudo meu marido puxava um papo com o futuro comedor da sua esposa.
Senhor Pedro era viúvo, mas que acredito ainda amava sua esposa, visto que não tinha tirado o anel de casamento do dedo (dedão grosso por sinal). Morava sozinho com um cachorro e ainda não tinha arranjado nenhuma namorada. Não era muito de dar em cima de mulheres, mas que percebeu que eu estava precisando de ajuda quando me viu com a buceta aberta em plena luz do dia.
Rimos bastante e não resisti, tirei a piroca dele para fora da calça. Realmente era muito grossa e negra. Enquanto meu marido dirigia, sem pressa, eu disfarçadamente e calmamente batinha uma punheta para aquela rola enorme. Conversávamos de assuntos diversos, ele era representante comercial e dizia viajar por todo o Brasil, Meu marido é engenheiro e também conhece muitos lugares. Ele sempre muito educado e sem mencionar nenhum palavrão. Coisa mais linda.
Chegamos no motel, e ele deu uma disfarçada com a camisa para esconder a danada. Eu é claro, fiquei ali mesmo no banco de traz. Maridão pediu uma boa suíte e entramos. Descemos do carro e eu como sempre já cai de boca na pica do Pedro, antes mesmo do marido descer o toldo. Fico louco de imaginar de uma funcionário passar e me ver chupando a pica de outo homem enquanto meu marido arruma tudo para gente. Infelizmente não passou ninguém.
Maridão abriu a porta e eu, puxando Pedro pela rola o levei para dentro, com a calça meio arriada. O empurrei na cama e puxei a calça para fora juntamente com a cueca. Cai de boca nas suas bolas, enquanto mamava gostoso o maridão só nas fotografias. Como eu sou moreninha, mas mais para branca parecia sexo inter-racial. Nunca tinha visto uma piroca tão negra assim.
Mamei por pelo menos meia hora. Aquilo parecia um salame de dura e grossa, coisa deliciosa. Com a Xaninha já toda melada me levantei e tirei toda roupa, ficando apenas de salto alto e meia arrastão, recoloquei meu cinto para ficar mais sexy e me deitei. Disse: - agora quero língua.
E que linguada, o safado caiu feito doido na minha buceta que em minutos estava gozando na sua boca, pedia mais: - me chupa seu safado, meu chupa, quero gozar, quero gozar, quero gozar. – E freneticamente gozava.
Realmente fiquei estarrecida ali na cama enquanto ele ainda apresentava aquele salame enorme. É claro que não pedi pausa não, pedi pica. Cobri a danada com camisinha e então ele me pegou de papai-mamãe e socou lentamente, a pica era grossa, então ele foi com jeito. Como minha xaninha já é larguinha abocanhou toda pirocada do negão. Ele riu e disse ao meu marido.
Pedro: - Caralho, sua esposa aguenta mesmo. Poucas mulheres aguentam minha piroca assim de primeira.
Mor: -Te falei, esta daí gosta da coisa.
Pedro ria, conversava e socava na minha buceta. Pernonas toda aberta, para cima, toda arreganhada, sendo comida de verdade. Maridão vez ou outra vinha segurar minhas pernas que se cansavam de ficar para cima.
Eu: - Ajuda mor, estou com as perninhas cansadas mas não quero parar de dar não.
Pedro (iniciando aquele bombar frenético de quem vai gozar): - Caralho, vou gozar....
Tirei a pica para fora e mal me ajoelhei no chão recebi porra na cara, porra no cabelo, porra nos seios. Muita porra mesmo que escorria da minha cara ao seios e dos seios a barriga. Enquanto meu marido filmava a tudo e com o dedo juntava aquela porra toda e bebia. Maridão ainda pedi para bater com aquela jeba enorme na minha cara para ficar filmado. Relaxamos um pouco e pedimos uma pizza e cerveja para comer, fomos para banheira e tomamos banho juntos, dali a uma hora, senti que a piroca ficou novamente dura e pedi.
Eu: - Ai mor, não sei não, mas acho que vou tentar dar o cuzinho para esse salame, o que vc acha?
Mor: - Sei não mor, será que seu cuzinho aguenta?
Eu: - Vou tentar.
Pedi para o mozão filmar a tudo e com muito, mas muito KY e de quatro ele começou a me enrabar. Aqui parecia que iria me rasgar ao meio, nunca vi coisa igual. Entrava um pouquinho e pedi para parar, mais meio centímetro e pedi para parar. Ele era muito grossa, ainda demais depois de ter gozado. Pareceu uma garrafa de coca-cola. No meio não resisti e pedi para tirar. Maridão é claro, filmou a tudo e meu cú ficou parecendo um buraco negro.
Eu: - Caralho, primeira pica que neguei fogo. Está de parabéns Sr Pedro.
Mor: - Podemos tentar outro dia, não Sr Pedro.
Pedro: - Claro, estou a disposição de vocês.
Eu: - Vai me come de quatro, mas na buceta agora. – Safado me comeu novamente e novamente me encheu de porra quente.
Levamos ele até a sua casa e nos despedimos. Confesso que fiquei com o cuzinho ardendo por quase uma semana. Fui liberar somente no réveillon, conforme já contei no conto passado.
Beijos a todos.

Comentários

18 de Janeiro, 2017 às 14:41
DotadoSafado
ótimo conto..sempre que leio fico puto de tesão e com vontade de conhecer esse tipo de mulher safada, as vezes sendo uma evangélica, mãe, dona de casa..crente..comprometida enfim mulher que gosta de ser bem fodida, ou tenha fantasias e desejos mesmo que as vezes não tenha coragem pra falar mais morre de desejo,quero até mesmo ajuda-la a perder a timidez e mostrar todo desejo e vontade reprimida. quem sabe ajudando a conhecer esses desejos..e vontade.. whats novo (47) 99212-6411
03 de Janeiro, 2017 às 23:02
Amigo_Dotado
Ótimo conto... Adoro mulher safada que gosta de ser bem fodida, mesmo que as vezes não tenha coragem pra falar mais morre de desejo,depois de algumas exp. passei a gostar demais de ficar cobiçando uma mulher safada, ou vela se exibindo, até mesmo ajuda-la a perder a timidez e mostrar todo desejo e vontade reprimida. quem sabe ajudando a conhecer esses desejos..e vontade.. whats (47) 9269-1319
03 de Janeiro, 2017 às 23:01
Amigo_Dotado
Ótimo conto... Adoro mulher safada que gosta de ser bem fodida, mesmo que as vezes não tenha coragem pra falar mais morre de desejo,depois de algumas exp. passei a gostar demais de ficar cobiçando uma mulher safada, ou vela se exibindo, até mesmo ajuda-la a perder a timidez e mostrar todo desejo e vontade reprimida. quem sabe ajudando a conhecer esses desejos..e vontade.. whats (47) nove, dois, meia, , treze, dezenove.

1